Artigo | 16/04/2013

Os Campos Eletromagnéticos e a Saúde

Recentemente a “Folha de São Paulo”, deu destaque a um estudo publicado no Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine que revelou que crianças cujas mães estiveram altamente expostas a campos eletromagnéticos durante a gravidez, têm mais chances de desenvolver asma. A pesquisa foi liderada por cientistas norte-americanos da Brown University.

Para a análise, 801 mulheres grávidas usaram medidores de campos eletromagnéticos durante 24 horas. O aparelho detectava ondas provenientes de micro-ondas, secadores de cabelo, ventiladores, cafeteiras, lâmpadas fluorescentes, cabos de força e centrais de energia elétrica. Após a experiência, a equipe acompanhou os relatórios médicos sobre a saúde das crianças nos 13 anos subseqüentes.

Os resultados mostraram que as mães que estavam entre as 10% mais expostas a campos eletromagnéticos tinham 3,5 vezes mais chances de ter filhos com asma do que as 10% menos expostas. No total, 130 crianças ou 20,8% do total desenvolveram asma, sendo que a maioria delas foi diagnosticada com o problema antes dos cinco anos.

Outros estudos ainda em desenvolvimento pesquisam uma possível relação entre o uso freqüente do telefone celular (mais de 30 minutos por dia por mais de 10 anos) com o aumento do risco de desenvolver tumores cerebrais.

O que temos de concreto são as recomendações da ICNIRP (Comissão Internacional de Proteção Contra Radiação Não Ionizante) e aprovados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) que estabelece os níveis de campo elétrico e magnético para os quais não irão ocorrer danos à saúde. Esses valores são adotados pelo Brasil e foram publicados pela Resolução ANEEL nº 398 de 23/03/2010 e são respectivamente:

Campo Elétrico (kV/m) Campo Magnético (µT) Publico em geral 4,17 83,33 Publico ocupacional 8,33 416,67

Público em Geral: compreende indivíduos de todas as idades e diferentes estados de saúde não integrantes da população ocupacional.

População Ocupacional: a população de adultos geralmente expostos a campos elétricos e magnéticos em condições conhecidas, em função da sua atividade ocupacional, e que são treinados para ser conscientes do risco potencial e tomar as precauções apropriadas.