Artigo | 20/10/2013

Segurança Ontem e Hoje

A icônica imagem "Almoço no topo de um arranha-céu", do fotógrafo Charles Ebbets, registrou o momento em que 11 operários almoçam sentados sobre uma viga de aço, no piso 69 do antigo edifício RCA, em Nova York, nos Estados Unidos, na época ainda em construção.

Atualmente o RCA se chama GE Building, um dos arranha-céus mais altos do mundo. A foto foi tirada em setembro de 1932, um ano antes da conclusão da obra, e divide opiniões sobre se seria uma montagem, se foi produzida, ou se foi a captação de um momento espontâneo.

De qualquer forma, havia uma aura de heroísmo (incentivada pela imprensa) cercando a atividade daqueles que trabalhavam em condições tão adversas. Infelizmente acidentes que vitimavam esses “heróis” eram frequentes e a consequência quase sempre era a morte.

Hoje em dia (felizmente) a opinião pública e os próprios trabalhadores jamais aceitariam o trabalho em condições tão precárias. Nenhum órgão da imprensa sequer pensaria em publicar uma foto como a que vimos acima, a não ser com o caráter de denuncia das inseguras condições de trabalho.

Vamos observar mais de perto os acidentes envolvendo as instalações elétricas, quando foi fundada em 1890 a “Irmandade Internacional dos Eletricistas” ( International Brotherhood of Electrical Workers), primeiro sindicato da categoria, um em cada dois eletricistas morria devido a acidentes do trabalho (isso mesmo 50% dos eletricistas).

Muitos acidentes envolvendo eletricidade podem acontecer por falta de atenção ou desconhecimento das pessoas, segundo dados da Abracopel. O número total de acidentes com a origem na eletricidade em 2012 foi de 278 mortes, com 41 ocorrências de choque elétrico sem morte.

As imagens abaixo dão uma amostra trágica da realidade, onde o desconhecimento dos riscos da eletricidade fica evidente:

As estatísticas sobre acidentes elétricos contemplam números que mostram apenas uma parte do retrato de uma realidade ainda mais trágica, considerando que nem todos os acidentes são divulgados. Estes acidentes, causados pelo desconhecimento e pela negligência na utilização correta da energia elétrica, provocam enormes prejuízos sociais e econômicos.

A situação com relação aos profissionais da área também não é nada animadora, o número de acidentes com afastamento decorrentes de contato com rede energizada nas instalações das distribuidoras de energia aumentou em 2011 em comparação com o ano anterior (753 contra 741), o número de fatalidades nesses dois anos manteve-se em 79 mortes, conforme Relatório Estatístico de Acidentes no Setor Elétrico Brasileiro divulgado pela FUNCOGE.

Acesse Segurança no Lar e veja como evitar acidentes domésticos.

Conheça também os cursos de capacitação em eletricidade Eletricidade Básica e Eletricidade para Não Eletricistas