Artigo | 28/04/2015

O que provoca os acidentes do trabalho?

Sabemos que um acidente nunca tem origem em apenas uma causa, mas em uma cadeia de eventos, que vão se acumulando, até que uma última falha propicie a ocorrência do acidente. Essa cadeia de eventos é constituída basicamente de dois grandes grupos de causas, tradicionalmente definidas como: atos inseguros e condições inseguras.

Condições inseguras: são assim consideradas as não conformidades, que presentes no ambiente de trabalho, comprometem a segurança dos trabalhadores e das instalações e equipamentos. Constituem-se basicamente em:

Fatores Ambientais: Agentes químicos, físicos, biológicos, equipamentos, ferramentas, instalações, layout – espaço.

Fatores Organizacionais: Organização do trabalho, métodos e processos, procedimentos.

Por exemplo, a corrente elétrica é um risco inerente aos trabalhos que envolvem instalações elétricas, a eletricidade, no entanto, não pode ser considerada uma condição insegura. A energia elétrica, quando devidamente isolada das pessoas, passa a ser um risco controlado. Por outro lado, instalações mal feitas ou improvisadas, fios expostos, são consideradas condições inseguras. Outros exemplos: falta de dispositivos de proteção ou inadequados, iluminação inadequada, ventilação inadequada, excesso de ruído etc.

Podemos definir ato inseguro, como a ação das pessoas ao se expor, de forma consciente ou não, ao risco de sofrer acidentes.

Atos inseguros são fatores importantes que colaboram para a ocorrência de acidentes do trabalho e são definidos como as causas de acidentes que residem exclusivamente no fator humano. São exemplos de atos inseguros: executar tarefas para qual não está qualificado, dirigir perigosamente, não usar EPI etc.

É possível identificar seis fatores associados a erros humanos como causa de acidentes.

Falta de Capacidade: Falta de qualificação para a execução da tarefa, por exemplo motorista comum que ao tentar operar uma empilhadeira sofre ou causa um acidente.

Falta de Aptidão Física ou Mental: Está associada a duas circunstâncias: ou o indivíduo não preenche o perfil mínimo para ocupar uma função ou fatos circunstanciais alteram momentaneamente essa aptidão. Condições como uma noite mal dormida, problemas pessoais, situações de estresse, uso de drogas, podem afetar o desempenho do trabalhador.

Falha devido a Condições Ergonômicas Inadequadas: Estão associadas ao ambiente, a máquinas, equipamentos não protegidos ou inapropriados, que propiciam a ocorrência da falha humana.

Falha na Informação: Nessas circunstâncias, o acidente acontece porque quem executava a tarefa não dispunha de alguma informação ou fato que alguém conhecia e ele não. Decorre de deficiência no sistema de comunicação.

Falha por Deslize: a pessoa tem a informação necessária, tem qualificação e capacitação adequadas, tem aptidão e motivação, e mesmo assim em determinado momento esquece de cumprir determinado passo ou etapa.

Falha devido a Motivação Incorreta: Decorrem do excesso de confiança, comum nas pessoas mais experientes que ignoram alguns passos e precaução na execução da tarefa, tomando atalhos. Por exemplo o eletricista que retira os EPIs após finalizada a tarefa, ainda estando dentro da área de risco.

A eliminação do fator central (causa raiz) seja ele ato inseguro ou condição perigosa, constitui a base da prevenção dos acidentes, assunto que veremos no nosso próximo artigo. Até lá.

Decio Wertzner