Artigo | 10/03/2016

Riscos atmosféricos em espaços confinados

Os espaços confinados, por serem por definição locais onde a ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes, ou renovar o ar que se respira, são locais onde existe a possibilidade de se encontrar uma atmosfera pobre (ou rica) em oxigênio, gases tóxicos e gases explosivos.

Causas da deficiência de oxigênio:

Consumo: ocorre tanto na combustão, quando o O2 do ar reage com o material combustível (incêndios, por exemplo), como na oxidação de metais.

Inertização: Procedimento de segurança que visa evitar uma atmosfera potencialmente explosiva através do deslocamento da mesma por um fluído inerte. Este procedimento pode produzir uma atmosfera IPVS (imediatamente perigosa à vida ou a saúde) deficiente de oxigênio dentro do espaço confinado.

Adsorção: Processo pelo qual átomos, moléculas, ou íons são retidos na superfície de sólidos através de interações de natureza química ou física. Por esse processo, gases, líquidos e sólidos podem ser seletivamente capturados ou removidos de um ambiente. Principal adsorvente: carvão ativado (carbono puro de alta porosidade).

Atmosferas Tóxicas e Atmosferas Explosivas: Atmosfera Tóxica: identificada pela presença de qualquer substância cujo “limite de tolerância” seja publicado na NR-15 do MTE ou em norma internacional como por exemplo a ACGIH - American Conference of Governmental Industrial Hygienists, e que possa resultar na exposição do trabalhador acima desse “limite de tolerância”. Atmosferas tóxicas podem ser geradas em muitos processos: soldagem, pintura, corte, raspagem, limpeza etc.

Atmosferas Inflamáveis ou Explosivas: caracterizada pela presença do “triangulo do fogo” constituído por: combustível (gases ou vapores e poeiras inflamáveis ou explosivas ), comburente (oxigênio do ar) e pela fonte de ignição.

Para proteção dos trabalhadores que ingressam em espaços confinados deverão ser utilizados aparelhos detectores de no mínimo quatro gases (oxigênio, explosividade, monóxido de carbono e gás sulfídrico) em todas as frentes de trabalho, com certificado e etiqueta de validade da calibração nos aparelhos. Essas medições deverão ser feitas antes do acesso e mantidas enquanto houver a presença humana dentro do espaço confinado.

Decio Wertzner – Fazer Segurança T&C – Março - 2016