Artigo |10/10/2016

Artigo: Medidas de Controle Contra o Risco Elétrico - Proteção Contra Contatos Indiretos

Em continuação à revisão do treinamento no curso básico NR10 - Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade, falaremos sobre proteção contra contatos indiretos.

O contato indireto ocorre quando uma pessoa toca algo que normalmente não conduz eletricidade, mas que se transformou em um condutor acidentalmente, por exemplo, devido a uma falha na isolação, ou a um aterramento executado de forma indevida.

Tipos de Proteção Contra Contatos Indiretos:

1. Aterramento: Ligação intencional de baixa impedância à terra, através da qual correntes elétricas podem fluir.

O aterramento pode ser:

1.1. Funcional: ligação à terra de um condutor do sistema (o condutor neutro), objetivando o correto funcionamento da instalação.

1.2. Proteção: aterramento das massas e dos elementos estranhos, objetivando a proteção contra choques (contatos indiretos).

1.3. Temporário: ligação elétrica efetiva com baixa impedância intencional à terra, destinada a garantir a equipotencialidade e mantida continuamente durante a intervenção na instalação elétrica.

2. Proteção por Ligações Equipotenciais: Ligação destinada a igualar os potenciais de massas ou de partes metálicas da instalação que não sejam destinadas à condução de energia elétrica.

3. Seccionamento Automático da Alimentação: Consiste de um dispositivo de proteção que deverá seccionar automaticamente a alimentação do circuito ou equipamento por ele protegido, sempre que uma falta der origem a uma corrente superior a um valor determinado e ajustado.

4. Proteção por Isolação Dupla ou Reforçada: Este tipo de proteção é normalmente aplicado a equipamentos portáteis, tais como furadeiras elétricas manuais, os quais por serem empregados nos mais variados locais e condições de trabalho, e mesmo por suas próprias características, requerem outro sistema de proteção, que permita uma confiabilidade maior do que aquela oferecida exclusivamente pelo aterramento elétrico.

5. Proteção por dispositivo a corrente diferencial residual DR: Dispositivo que interrompe o fornecimento de energia elétrica quando a corrente diferencial residual (Id) atinge um determinado valor. Protege pessoas contra os efeitos nocivos causados por choques elétricos, através da detecção da corrente de fuga e desligamento imediato. Protege também instalações contra falhas de isolação, evitando perdas de energia e possíveis focos de incêndio.

Decio Wertzner – Fazer Segurança – outubro/2016.