Artigo |10/02/2017

O planejamento e a segurança do trabalho na NR-10

Na década de 1990 um engenheiro brasileiro que visitou estaleiros nos Estados Unidos e no Japão, percebeu com certa surpresa que a etapa de planejamento de um novo navio, demorava no Japão o dobro do tempo de um projeto similar nos Estados Unidos. Apesar disso (e principalmente, devido a isso) o tempo total para a conclusão dos navios japoneses era de alguns meses inferior ao tempo dos americanos.

Mas o planejamento não só é importante, para garantir prazos e conformidade do produto, a realização do trabalho com segurança, também exige um apurado e cuidadoso planejamento das atividades, principalmente em se tratando de serviços com eletricidade.

A NR-10 no seu item 10.7.5 estabelece que: “Antes de iniciar trabalhos em circuitos energizados em AT, o superior imediato e a equipe, responsáveis pela execução do serviço, devem realizar uma avaliação prévia, estudar e planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas de forma a atender os princípios técnicos básicos e as melhores técnicas de segurança em eletricidade aplicáveis ao serviço.

A avaliação prévia deve ser realizada no local do serviço, com a participação do encarregado e de toda a equipe possibilitando a análise crítica da situação real de forma a poder planejar a melhor maneira de se executar a tarefa”.

Planejar é projetar ações futuras considerando as contingências e significa pressupor situações para atendimento a determinadas certezas e incertezas.

É o serviço de preparação de um trabalho com o estabelecimento de métodos convenientes que garantam a qualidade do trabalho a ser realizado, e a segurança daqueles que o executam e de terceiros.

O planejamento é a ferramenta para prever, pensar, compreender e organizar estratégias, procedimentos ou condições que eliminem ou reduzam as incertezas para a obtenção do resultado esperado, dentro das condições exigidas.

Pressupostos para o Planejamento em Instalações Elétricas

- Definição clara das metas e dos resultados a que se quer chegar, com prazos, qualidade de serviços e materiais, e meios disponíveis;

- Análise da realidade (local, ambiente e mão de obra), considerando todas as variáveis envolvidas;

- Elaboração de projeto das instalações elétricas contendo todos os requisitos técnicos funcionais, prevendo espaçamento e distanciamento seguros, possibilidade de travamento dos dispositivos de manobra, invólucros seguros, aterramento elétrico, seccionamento automático, sistemas ou dispositivos de prevenção contra influências ambientais, áreas confinadas, áreas classificadas, disposições contra incêndio ou explosões, sinalização e indicações de segurança.

- Levantar e analisar os materiais, dispositivos e componentes necessários aos serviços ou ações nas instalações elétricas;

- Prever os sistemas, equipamentos, ferramental, maquinários e instalações necessárias à execução dos serviços;

- Programar os equipamentos de Proteção Coletiva – EPC e os Equipamentos de Proteção Individual – EPI.

- Prever os materiais de sinalização e advertência (cones, cavaletes, fitas, placas, etiquetas e outros equipamentos de sinalização e de advertência).

- Prever a necessidade de equipamentos de avaliação (explosímetro, medidor de umidade, terrômetro, detetores de tensão etc).

- Programar a quantidade e a habilitação ou capacitação dos profissionais e trabalhadores necessários à realização das ações propostas nas instalações elétricas;

- Promover os meios para a promoção de treinamento de segurança destinado aos profissionais e trabalhadores necessários à realização das ações propostas;

- Prever a necessidade de elaboração de procedimentos e instruções de segurança passo a passo;

- Programação das necessidades de manutenção preventiva, testes de isolamento elétrico de máquinas, equipamentos, ferramentas e dispositivos;

- Definir as operações a serem executadas, os recursos necessários e os responsáveis pelas mesmas;

Deve-se ainda prever:

- Necessidade de equipamentos (munks, cestas-aéreas, andaimes etc);

- Ferramentas e dispositivos especiais as diversas fases dos serviços;

- Contratação dos trabalhadores e dos profissionais especializados em função da natureza dos serviços;

- Materiais especiais (instalações em áreas classificadas, em ambientes agressivos);

- Treinamentos especiais em função da especificidade da situação ou dos riscos;

- Plano de emergência.

Decio Wertzner – Fazer Segurança – Fevereiro/2017.