Artigo |02/10/2017

Exposição Ocupacional ao Frio – Primeira Parte

O sistema regulador térmico do homem é muito eficaz para as temperaturas mais altas (calor) e pouco eficiente para as baixas.

A exposição ocupacional ao frio é dividida em dois grupos: as atividades exercidas ao ar livre, tais como: construção civil, agricultura, pesca, exploração de petróleo, policiamento, resgate e salvamento, vigilância e outros; e as atividades exercidas em ambientes fechados, como: câmaras frias, câmaras frigoríficas, fabricação de gelo, fabricação de sorvetes, pescadores e outros.

As atividades ocupacionais em ambientes frios cobrem uma larga faixa de temperaturas, conforme indicado na tabela abaixo:

(Temperatura ºC) /////// (Atividade)

-120 /////////////// Câmara para crioterapia

-55 /////////////// Câmara fria e produção de produtos congelados

-28 /////////////// Câmara fria para armazenagem de produtos congelados

-8/+12 /////////////// Armazenagem, preparação e transporte de alimentos frescos

A temperatura normal do núcleo do corpo é de cerca de 37º C. Essa é a temperatura mantida nos órgãos internos do corpo.

A manutenção dessa temperatura (necessária para preservação das funções orgânicas) dependerá da geração de calor interno por meio da atividade metabólica e da troca térmica com o ambiente, na qual o corpo pode perder calor por radiação, condução, convecção e evaporação.

Podemos ficar expostos a “stress térmico” devido à dois tipos de carga térmica: carga externa (do ambiente), carga interna (metabólica).

A carga externa é resultante da troca de calor que realizamos com o meio ambiente.

A carga metabólica é resultante da energia gasta para manter funções vitais como respiração, circulação, atividade glandular e da atividade física.

Legislação Pertinente

Artigo 253 da C.L.T. "Para os empregados que trabalham no interior das câmaras frigoríficas e para os que movimentam mercadorias do ambiente quente ou normal para o frio e vice-versa, depois de uma hora e quarenta minutos de trabalho contínuo, será assegurado um período de vinte minutos de repouso, computado esse intervalo como de trabalho efetivo".

Portaria n.º 3.214/78 DO MTb – NR-15 – ANEXO N.º 9 "As atividades ou operações executadas no interior de câmaras frigoríficas, ou em locais que apresentem condições similares, que exponham os trabalhadores ao frio, sem a proteção adequada, serão consideradas insalubres em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho".

No nosso próximo artigo falaremos sobre os fatores que agravam os efeitos da exposição ao frio, os efeitos biológicos dessa exposição e também sobre as medidas de proteção indicadas.

Decio Wertzner – Fazer Segurança – outubro/2017.