Notícias |21/03/2016


Energia solar em hidrelétricas

A Eletronorte e a Chesf assinaram contratos com empresas e institutos de pesquisa, esta semana, para iniciar o desenvolvimento das plantas piloto de geração solar de energia elétrica em flutuadores no lago de usinas hidrelétricas. A solução, parte do programa de pesquisa e desenvolvimento das empresas, tem previsão de investimentos de R$ 100 milhões, sendo R$ 49,964 milhões da Eletronorte e R$ 49,942 milhões da Chesf.

Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), o desenvolvimento dos projetos vão até janeiro de 2019, apra a geração de 10 MWp de energia elétrica. As plantas serão instaladas nos lagos das hidrelétricas de Balbina (AM), da Eletronorte, e Sobradinha (BA), da Chesf.

O início da implantação e pesquisa do projeto de Balbina está previsto para o dia 29 de janeiro de 2016, e no caso de Sobradinho, em 1º de fevereiro, com entrega das plantas piloto em agosto do próximo ano, com a instalação de 1 MWp em cada unidade.

De acordo com o cronograma, em outubro de 2017, serão entregues as plantas piloto nas duas usinas, com geração de outros 4 MWp em cada unidade (8 MWp no total, que se somarão aos 2 MWp das plantas piloto).

A pesquisa nas duas plantas vai analisar o grau de eficiência da interação de uma usina solar em conjunto com a operação de usinas hidrelétricas. A lista de fatores a serem focados inclui a radiação solar incidente no local; produção e transporte de energia; instalação e fixação no fundo dos reservatórios; a complementariedade da energia gerada; e o escoamento desta energia.

Com isso será possível avaliar a eficácia da produção média de energia solar nestes locais. As entidades que participarão do projeto são Sunlution, WEG, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (FADE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Fundação de Apoio Rio Solimões (Unisol) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Fonte:PennWell Energia